Notícias

Em sua primeira experiência com carros de fórmula fora do país, piloto que conta com patrocínio da Blau Farmacêutica foi oitavo colocado na prova que encerrou a etapa de Rapuna

VOLTAR PARA LISTA COMPLETA


Era para ser um final de semana de aprendizado, mas a estreia de Christian Hahn em categorias internacionais de fórmula já rendeu frutos. O jovem piloto brasileiro patrocinado pela Blau Farmacêutica fechou a primeira etapa do Toyota Racing Series com um Top10 na terceira prova da rodada tripla que aconteceu em Rapuna, na Nova Zelândia.

Com pouca experiência fora do país - uma vitória na GT americana a bordo de uma Lamborghini Gallardo era sua única corrida internacional -, Christian enfrentou dificuldades para se adaptar ao carro de motor Toyota, pneus Michelin e chassis diferente do utilizado por ele na F3 Brasil durante duas temporadas. "Além do carro ser diferente, a disputa aqui é muito mais competitiva. Tem muito mais carros na pista e, em alguns momentos, parece até uma corrida de kart. São muitos pilotos de qualidade, todos muito impetuosos", contou o novato.

Ganhar quilometragem no Toyota Racing Series também não é fácil. Os treinos são curtos, com 30 minutos de duração cada, e as duas primeiras corridas tem apenas 15 voltas. Desta maneira, Christian não conseguiu se destacar nas duas provas mais curtas da rodada tripla. Saindo do fundo do pelotão, foi 17o na corrida inaugural e 18o na segunda disputa. Já na terceira prova, surpreendeu: saiu de 18o e foi ganhando posições até cruzar a linha de chegada em oitavo lugar.

"Fiz una boa largada, ganhando posições importantes, o que me ajudou muitoa chegar na frente. Nesta prova, eu já estava mais confortável dentro do cockpit e consegui ser mais agressivo nas ultrapassagens. Cumprimos o objetivo de ficar entre os dez primeiros nesta primeira etapa, o que era um grande desafio, já que todos os pilotos que estão nesta disputa se mostraram muito competitivos e todos são candidatos a chegar longe em qualquer categoria na Europa. Por tudo isso, estou muito feliz com o desempenho que tivemos nesta prova", contou.

De fato, ficar na pista foi um grande desafio. No total, cinco pilotos acabaram abandonando. Entre eles, vários renomados, como o australiano Marcus Armstrong, vencedor da primeira corrida e terceiro colocado na segunda. "Foi uma disputa muito movimentada, com duas bandeiras amarelas. Tive que manter a concentração para manter o carro na pista e conquistar este resultado

A próxima etapa da competição que serve de preparação para a temporada europeia da F3 está marcada para os dias 21 e 22 de janeiro, no Teretonga Park, em Invercargill, Nova Zelândia. É a pista mais curta do calendário, com apenas 2.570 metros e oito curvas em sentido anti-horário.

Veja como ficou o campeonato após as três primeiras corridas:

1- Richard Verschoor (Holanda) - 181 ponto

2 - Thomas Randle (Austrália) - 178

3 - Jehan Daruvala (Índia) - 142

4 - Ferdinand Habsburg (Austria) - 136

5 - Marcus Armstrong (Austrália) - 135

6 - Enaan Ahmed (Inglaterra) - 134

7 - Taylor Cockerton (Austrália) - 131

8 - Brendon Leich (Austrália) - 123

9 - Pedro Piquet (Brasil) - 119

10 - Kami Laliberté (Canadá) - 102

15 - Christian Hahn (Brasil) - 73

Português Inglês Espanhol Espanhol
+